Cotia não é Fast-food!

Na ultima segunda feira o Tricolor lucrou cerca de R$ 30 milhões com a venda de dois zagueiros da base: Morato, para o Benfica, de Portugal, por 6 milhões de euros (cerca de R$ 27 milhões). e Miguel Alcântara, para o Ascoli, da Itália, por 500 mil euros (cerca de R$ 2,2 milhões).

Ambos jogavam pela equipe sub-20 do Tricolor e nem sequer tiveram a oportunidade de serem promovidos ao time profissional e demonstrarem seu potencial.

Alguém pode dizer: – Ah Fernando, mas nem todos os jogadores vão ser aproveitados no time principal e temos que fazer caixa…

Concordo em partes e explico o porque: Se a venda ajudou o combalido cofre Tricolor, que recentemente enfrentou problemas para quitar os atrasados direitos de imagem de parte do elenco, por outro lado “atrasa” o cenário esportivo, pois não podemos tirar nenhum proveito destes jogadores em campo, motivo principal para que um clube de futebol exista.

A justificativa de que o clube precisa vender jogadores para fazer dinheiro e não enfraquecer o elenco perdendo peças titulares em meio à disputa das primeiras posições do Brasileirão não entra na minha cabeça!

O São Paulo Futebol Clube vem contratando mal há anos e anos a fio. E isso, alem da carência de títulos, também cobra um preço na parte financeira do clube, gerando um ciclo quase que inquebrável de crises e crises sem fim!

Para exemplificar: sera que Anderson Martins é melhor que Morato?

Essa é uma pergunta que não poderemos responder no curto prazo mas a historia recente vem mostrando que casos como o de David Neres, Luiz Araujo e etc fazem Cotia parecer um Fast-food de formação de jogadores, que esta sempre a postos para injetar dinheiro na incompetente gestão Tricolor, mascarando os erros cometidos na montagem e manutenção do elenco principal.

Não adiantar ir lá e formar o jogador e então antes dele atingir a maturidade esportiva, ser vendido – seja para fazer caixa ou para agradar a torcida, que muitas vezes cobra alem do normal devido a carência de títulos (vide o caso recente das vaias sofridas pelo Anthony).

Cotia não é Fast-Food! Lapidar diamante leva tempo e só acontece quando o ambiente é bom – não apenas em Cotia mas também no “resort” da Barra Funda.

Até quando a diretoria continuará a vender as promessas da base sem aproveitá-las dentro do campo?

Um abraco,

Fernando Michelutti.

Comentários do Facebook

Fernando Michelutti

São Paulino desde 30 de maio de 1982 - O São Paulo Futebol Clube foi, e continua sendo, sua primeira paixão na vida. É fanático por futebol e se deixar assiste até a 6° divisão do campeonato inglês naquele sábado chuvoso com direito a mesa redonda e replay dos gols. Tem como hobby colecionar camisas de clubes nacionais e internacionais, além de visitar estádios e sedes de clubes sempre que esta viajando ao redor do globo. É casado com a Santa Raquel - que nunca foi enganada sobre seu primeiro amor. Também é pai da Duda, do Dani e do Pedro - uma nova geração de são paulinos que vem forte rumo ao Hepta. Agora, junto com grandes amigos, também é blogueiro aqui no papo de arquibancada!

Deixe uma resposta