Gol de Cícero na final da Libertadores: pode acabar 2017!

A vontade de rir é grande, mas a de chorar é maior! Vamos lá torcedor são paulino, olha esse elenco e veja se você não me entende perfeitamente:

Maicon

por Rubens Chiri / saopaulofc.net

Maicon chegou ao São Paulo em 2012, o jogador, ao ser confirmado pela agremiação paulista, afirmou que vivia “a melhor fase da carreira” e que estava “confiante, motivado”. Se dizia um atleta “que organiza o time, com passe bom e chegada para finalizar”. Não resistiu a atuações pífias e burocráticas e contestado pela torcida e reserva no time comandado por Muricy Ramalho, Maicon foi liberado para negociar com outras equipes e acabou acertando com o Grêmio. No dia 21 de Dezembro de 2015 o jogador acertou sua permanência em definitivo no Grêmio após o clube gaúcho pagar a quantia de R$ 7 milhões ao São Paulo. Maicon logo assumiu a posição no clube gaúcho, onde virou titular absoluto e líder da equipe, sendo o carro chefe dos gaúchos na conquista do penta campeonato da Copa do Brasil, em 2016.

Cortez

por Rubens Chiri / saopaulofc.net

Esse foi mais um lateral que afundou a carreira na maldição dos laterais do Morumbi, que perdura desde Cicinho e Junior lá em 2005. Tivemos lampejos com Ilsinho, Alvaro Pereira, Junior Tavares, dentre outros, mas certo hoje é: se você é lateral, direito ou esquerdo – não importa, e quer afundar sua carreira, vá ao Morumbi! Incrível essa maldição! Entra temporada, sai temporada, sempre temos a carência de laterais e essa posição sempre é uma das prioridades no São Paulo em todas as janelas de transferências! E só lembrando que : 1) Foi mais um que negociou a rescisão de contrato amigável com o São Paulo e 2) Cortez foi barrado por nada mais, nada menos que CARLETO! É mole uma coisa dessas???

Fernandinho

por Rubens Chiri / saopaulofc.net

Depois de um grande temporada no Barueri, sendo destaque no Brasileiro, no final de 2009 Fernandinho foi sondado por grandes clubes do estado de São Paulo e acabou acertando com o São Paulo Futebol Clube. Jogador leve e versátil, mas de péssima finalização, nunca foi unanimidade e saiu do Tricolor sem ter uma excelente sequência e seu grande feito ocorreu em 27 de março de 2011. Foi ele quem sofreu a falta que originou o 100º gol do goleiro-artilheiro e Mito, Rogério Ceni, justamente no estádio em que brilhou para o futebol: Arena Barueri. Devido à façanha, Fernandinho, inclusive, foi presenteado por Rogério Ceni com a camisa do jogo, presente que guarda com carinho em um quadro até hoje. Foi vendido no meio de 2012 para o Al-Jazira, dos Emirados Árabes por 4.5 milhões de euros.

E o mais emblemático de todos: Cícero!

por Rubens Chiri / saopaulofc.net

Quando retornou ao São Paulo em 

Campeão da Sul-Americana em 2012, o meio-campista Cícero foi apresentado como reforço do Tricolor nesta segunda-feira (16). O jogador, que estava no Fluminense, recebeu a camisa e as boas-vindas do diretor de futebol José Jacobson Neto e festejou o seu retorno ao clube. O versátil atleta assinou um contrato válido até o final de 2018 e está à disposição do técnico Rogério Ceni, que tem preparado a equipe em Bradenton-EUA.

Cícero deu declarações como:

“Agradeço as palavras do Jacobson. É um prazer enorme vestir esta camisa de novo. Fiquei motivado com o interesse do São Paulo, nas férias, e tinha vontade de retornar. Participei da última conquista do clube, na Sul-Americana de 2012, e estou motivado para brigar por títulos novamente. Desejo conquistar mais uma taça com o clube e acredito que brigaremos na parte de cima da tabela”, afirmou o meio-campista, que emendou.

“O São Paulo virá forte na briga por títulos. Chego para somar e ajudar. Independentemente de quem seja escalado, o importante é ajudar o São Paulo no final. O clube é grande, precisa conquistar títulos sempre e estou pronto para tentar ajudar. Saí da minha zona de conforto no Rio de Janeiro, porque a minha esposa é carioca e o meu filho tinha prazer em frequentar a escola lá, para retomar a minha trajetória aqui”, acrescentou.

Porém o conto de fadas acabou em 28/09/2017 e não durou nem 9 meses. O meia teve seu contrato rescindido e na época a especulação de que ele iria ao Grêmio se concretizou. Vale lembrar: o atleta estava afastado desde Agosto e não vinha sendo usado pelo técnico Dorival Júnior. Ele treinava em horários diferentes do elenco principal. Também já havia disputado 10 jogos no Brasileirão e não poderia atuar mais por nenhum outro time da Série A, como o próprio Grêmio. Apesar disso, o tricolor gaúcho bancou seu elevado salário para utilizá-lo na Libertadores e advinha o que aconteceu? Bingo! Cícero foi mais um daqueles que saiu do Tricolor para brilhar em outro clube, tornando-se o herói improvável na final de ontem em Porto Alegre.

Um outro fato interessante foi noticiado hoje pelo jornalista Jorge Nicola: Cícero, acredite ou não, recebe salários de 3 grandes clubes do futebol brasileiro: Fluminense, o próprio São Paulo e agora do Grêmio. Horas depois de deixar o Morumbi, o jogador era anunciado como reforço do Grêmio até o fim deste ano, com salário na casa dos R$ 200 mil. Ou seja, Cícero embolsa hoje R$ 735 mil, sendo R$ 350 mil do Fluminense, R$ 185 mil do São Paulo e R$ 200 mil do Grêmio. Leia mais sobre esse disparate aqui.

Mas afinal, o que acontece no São Paulo?

Recentemente escrevi um texto que teve grande repercussão sobre tal problema. Na época chamei o texto de Efeito Marlos, devido ao relativo sucesso de mais um ex-jogador tricolor, no caso o próprio Marlos, em outros clubes.

Minha conclusão continua sendo a mesma, e partilho ela novamente aqui. Eu credito esses insucessos a três fatores principais:

  1. Fase atual do clube.
  2. Pressão da torcida, dirigentes e etc.
  3. Maturidade do jogador.

Primeiro: a fase atual do clube é péssima e isso influencia no rendimento dos jogadores. Desde 2009, no fatídico terceiro mandato de Juvenal, metemos os pés pelas mãos e já tivemos dezenas de treinadores e centenas de jogadores que chegam e saem sem obter sucesso. Exceto pelo título da Copa Sulamericana ou o vice campeonato brasileiro em 2014, não temos bons momentos para recordar. Cotia virou um Resort de Luxo: os poucos que são aproveitados já sobem com a mentalidade de serem vendidos. Luiz Araujo, David Neres e tantos outros confirmam esse pensamento. Os escândalos são constantes que acompanham os dirigentes, sejam da situação ou da oposição. Senão fosse nossa amada torcida, já teríamos sido rebaixados até mais de uma vez, apesar de na minha opinião (que pode ser lida aqui) já fomos moralmente rebaixados.

Segundo: muitas vezes, algumas delas com razão, pegamos demais no pé dos jogadores e os dirigentes de menos. Jogadores são humanos e sentem o clima em ambos os lados. Se a torcida pega demais no pé, fazem corpo mole e saem do clube na primeira oportunidade, como eu disse aqui. Já pelo lado dos dirigentes, os jogadores sabem que estes não gozam de prestigio e como diria o limitado intelectual Vampeta: – “Eles fingem que me pagam e eu fingo que jogo!”

E por último, mas não menos importante, muitas vezes o jogador é que não tem a maturidade adequada, e na primeira oportunidade sai do clube, achando que é intocável, que não tem que “ralar o bumbum na grama” para ter a oportunidade de ser titular no tricolor.

E você torcedor Tricolor, concorda com isso?

Qual é a mágica que faz Cortez, Maicon, Fernandinho e agora Cicero, jogarem bola fora do Morumbi?

Deixe sua opinião nos comentários abaixo!

Saudações tricolores,

Fernando Michelutti.

Ps. Vale mencionar aqui a estrela de Renato Gaúcho! Colocar Cícero e Jael “o Cruel” no jogo, e vir do pé de ambos a jogada do tento gremista (sem mencionar o cruzamento do limitadíssimo Edilson, vulgo barriga de cadela prenha), é TER MUITA ESTRELA!

por Pedro Tesch/Gazeta Press

 

Comentários do Facebook

Fernando Michelutti

São Paulino desde 30 de maio de 1982 - O São Paulo Futebol Clube foi, e continua sendo, sua primeira paixão na vida. É fanático por futebol e se deixar assiste até a 6° divisão do campeonato inglês naquele sábado chuvoso com direito a mesa redonda e replay dos gols. Tem como hobby colecionar camisas de clubes nacionais e internacionais, além de visitar estádios e sedes de clubes sempre que esta viajando ao redor do globo. É casado com a Santa Raquel - que nunca foi enganada sobre seu primeiro amor. Também é pai da Duda, do Dani e do Pedro - uma nova geração de são paulinos que vem forte rumo ao Hepta. Agora, junto com grandes amigos, também é blogueiro aqui no papo de arquibancada!

Deixe uma resposta

Follow by Email
Facebook
Twitter
YouTube
Instagram