Patric, até quando?

Contam as fábulas da Índia antiga que a “Oportunidade” é uma deusa linda, porém careca. Seu pouco cabelo está na testa, na forma de um rabo de cavalo bem trançado. Assim, a única forma de apanhar a deusa oportunidade é segurá-la vindo de frente, pois quando a oportunidade passa, a única coisa a ser feita é chorar a chance desperdiçada.

Se fôssemos traduzir a lenda para nossos ditados populares mineiros, diria que “cavalo selado não passa duas vezes.”

Em 2016, o lateral Patric chegou a posar para fotos com a camisa do Osmanlispor da Turquia, com o negócio desfeito posteriormente. E novamente o cavalo passou pedindo para ser montado em 2018, quando o São Paulo acenou com proposta de compra. Pois bem, quis o destino que o cavalo passasse selado para o Galo duas vezes, e em ambas foi decidido deixar a deusa oportunidade passar. Pior que isso, não só propostas foram rejeitadas, como o contrato de Patric foi estendido duas vezes, com substanciais aumentos salariais.

Estamos em 2019 e eu continuo a me perguntar, por que Patric continua no nosso Atlético? Prefiro escrever sobre isso em janeiro, pra quando Patric entregar pontos preciosos pelo ano, não ser chamado de corneta oportunista.

Certa vez numa transmissão do Manchester City pela ESPN, PVC afirmou: “O problema de ter Demichelis no elenco, é que às vezes ele acaba entrando e jogando.” O mesmo paralelo se aplica a Patric. Tê-lo no elenco, além de tirar oportunidade de um reserva mais barato, eficaz e capaz de evoluir, é a certeza que as vezes ele entrará em campo. E em todas elas, sofreremos.

Não estou aqui julgando o caráter, a história de vida ou quão querido Patric é de todo grupo. Estou apenas concluindo que a relação custo-benefício dele com o Galo é péssima. Na verdade é uma relação destrutiva, visto que nos traz prejuízos em pontos perdidos.

Kalil contou que seu pai costumava perguntar “como vai o monstro?”, referindo-se à massa alvinegra, corneteira e exigente. Se Sérgio Sette Câmara fizesse a mesma pergunta, ouviria um uníssono “Fora Patric”. Será que milhões de torcedores estão tão errados? Somos nós que assistimos partida após partida e pedimos a saída do camisa 29. Pra ter uma noção dessa rejeição ao jogador, basta ir na postagem do Instagram do anúncio da renovação do contrato até 2020 e ler os comentários dos torcedores. Fiz questão de ler os 100 primeiros comentários e não encontrei NENHUM positivo sobre a manutenção de Patric, muito mais sua renovação.

Se o futebol moderno são números, qual a explicação de manter Patric?

Eu só me pergunto, até quando? E sofro com a ideia de mais 24 meses com ele vestindo nossas cores.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta