Aviso: Perigo! O Furacão is coming!

A previsão do tempo para os dois últimos meses do ano é de Furacão na América do Sul, sim! Deixaram o Atlético PR chegar, e chegou (ou quase). Mas a verdade que após a vitória sobre o Fluminense, deixou muito perto da final histórica e inédita e dá pra falar, claramente, que foi um dos melhores jogos de um time brasileiro. E após ver Grêmio e Palmeiras falharem por não jogarem futebol, como é bom ver um time jogando e não contra-atacando.

OBS: Como diria o saudoso João Havelange: ” Quem tem time, ataca. Quem não tem, contra-ataca.”

O Atlético PR é o time que contraria toda a nossa estrutura futebolística: Posse de bola, sem chutão/ligação direta, e movimentação, etc… Todas essas características são completamente novas, apesar de tudo. E para times que pensam de maneira imediata, só quer saber de técnico “medalhão”, prazer, Tiago Nunes!

Tal feito não é por acaso, existem inúmeros motivos para tal. Uma delas, claro, é a tentativa frustrada do Fernando Diniz. O técnico que chegou, implantou aquela ideia do perde e pressiona e do toque de bola mas não deu certo por estar na zona do rebaixamento (na décima segunda rodada, pasmem) e tudo isso foi aprimorado e muito bem executado com o novo técnico.

A oxigenada no time, vai além do técnico (que foi campeão do Paranaense com o sub-23), vai principalmente nos jogadores. O Furacão é o time que mais usou a base no nosso futebol, 23 jogadores. A base do time se deu com jogadores como: Léo Pereira de 22 anos, muito bom zagueiro. Zé Ivaldo, 21 anos. Renan Lodi, autor do primeiro gol e que lateral fantástico, de APENAS 20 anos. Matheus Rossetto, 22 anos e Bruno Guimarães, 20 anos.

OBS: E há quem diga que o futuro não está nas bases…

O time extremamente ligado no 220w, renasceu o Marcelo Cirino e juntamente de Nikão e Pablo formam um trio letal. Muita velocidade e muita movimentação. Mas não é aquela movimentação só de trocar os pontas de lado pra ver se sai jogo. Não, a movimentação é na hora de atacar o espaço, de ser progressivo, de fazer valer o perde e pressiona. E o Pablo, um grande finalizador que joga até de meia com 16 gols na temporada.

A solidez do time, é notória principalmente nos números (se você acha que estatística não serve de nada, por favor, repense) o time paranaense no Brasileirão passa incríveis 62,81% do tempo no campo ofensivo e 39,5% são ataques perigosos, então, mais da metade do tempo nos dois últimos terços, são de chances. Já na Sula, o time tem 74% de posse no campo ofensivo, e 43.83% no último terço (esses números são por jogo)

O Furacão ainda conta com o título de melhor mandante da temporada, tendo 35 jogos e 24 vitórias com 72 gols marcados e só 23 gols sofridos.

De fato, é deveras incrível o que o time faz. Mas ainda tem o jogo da volta, e o Fluminense todo cambaleado tende a não dificultar muito. De qualquer jeito, o time que avançar pegará o vencedor de Independiente de Santa Fé (time horroroso) ou Junior Barranquilla.

Jr Barranquilla venceu na noite de ontem por 2×0 fora de casa e está quase classificado. O time liderado por Téo Gutierrez vem organizado, rápido e pode apostar, que nessa final terá jogo. Que seus adversários estejam preparados pois o Furacão is coming!

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta