Gol olímpico e vitória do Flu na base da garra

Por Alysson Cardinali

Foi difícil, suado, chorado. Mas, na base da garra e do talento de Sornoza, autor de um gol olímpico, o Fluminense superou a catimba do Defensor-URU e venceu por 2 a 0, no Maracanã. Digão, em seu 100º jogo com a camisa tricolor, também balançou a rede, o que permite ao time de Marcelo Oliveira perder por um gol de diferença o duelo de volta, dia 16, em Montevidéu, para ir às oitavas de final da Copa Sul-Americana.
“A gente lutou muito, sofreu e temos que celebrar este resultado”, disse Sornoza, muito feliz com seu primeiro gol olímpico pelo Fluminense.
Com três atacantes — Marcos Júnior, Pedro e Matheus Alessandro —, o Fluminense partiu para cima do Defensor, que fez jus ao nome e, no esquema 5- 4-1, tratou de se defender com afinco. Apesar da pressão, os comandados do técnico Marcelo Oliveira tiveram dificuldades para finalizar a gol. A primeira chance clara só surgiu aos 19 minutos, em cabeçada de Sornoza rente à trave, após cruzamento de Léo. Aos 20, o camisa 10 equatoriano ainda obrigou Reyes a difícil defesa.

INCANSÁVEL RUMO À VITÓRIA
Os lances acenderam o Fluminense, que, na base do toque de bola, manteve o domínio, em um verdadeiro ataque contra defesa. Destaque para a visão de jogo de Sornoza diante de um Defensor sem a menor vocação ofensiva. E que ainda apelou para o antijogo, com simulação de faltas e muita cera para conter o ímpeto tricolor. No jogo de nervos, o Defensor levou a melhor e desconcentrou os donos da casa, que pouco fizeram de efetivo até o intervalo.
A atuação apagada na primeira etapa não abalou o Fluminense, que manteve a pressão. A torcida tricolor, mesmo ressabiada com a falta de gols, passou a jogar junto e o apoio vindo da arquibancada surtiu efeito. Apesar de os uruguaios catimbarem a todo momento, o Fluminense não caiu na provocação e teve frieza para seguir na busca pela vitória e retribuir o carinho da galera.
A pressão ficou mais efetiva aos 22 minutos, quando Pedro finalizou à direita de Reyes. Aos 27, Pedro superou Reyes e Correa salvou em cima da linha. Incansável, o Fluminense não desistiu e foi recompensado. Aos 43, Sornoza cobrou escanteio e Digão, de cabeça, mandou a bola para a rede. Aos 47, Sornoza, inspirado, fez um golaço, olímpico, e fez valer a superioridade tricolor. Justiça no Maracanã.

FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta