Corinthians x Colo Colo pelo ponto de vista de um chileno.

Na próxima quarta-feira, 08 de Agosto se enfrentarão Colo Colo e Corinthians pela Libertadores. Nesse dia o Colo Colo completará 137 meses (o que equivale a mais de 11 anos) desde que o clube jogou pela última vez uma fase de oitavas de finais de uma Libertadores. Isso mesmo, mais de uma década em que o clube “Cacique”, como é conhecido no Chile, não passava da fase de grupos. Desde o jogo contra o América do México, em Maio de 2007 que não estava entre os melhores 16 da América. Em muitas oportunidades esteve perto, mas sempre o improvável acontecia, como aquele gol do Cleiton Xavier do Palmeiras em 2009 aos 40 minutos do segundo tempo que fez com que o Palmeiras avançasse às oitavas deixando o Colo Colo eliminado. Também contra o Cerro Porteño em 2011, quando o Colo Colo perdeu de 3×2 em uma virada incrível depois de estar ganhando por 2×0, onde inclusive o empate servia, mas tomou o terceiro em um gol lindo no ângulo aos 44 do segundo tempo.

Dentro desse contexto de assombração, onde o Colo Colo ficou mais em evidência, a tendência do futebol Chileno também vai em direção à esse caminho, onde depois dos anos 2000 os Chilenos perderam consideravelmente a competividade e qualidade e os resultados atuais em competições internacionais são irrelevantes. Se nos anos 80 e 90 era comum ver as equipes Chilenas chegarem em fases finais da Libertadores (1 campeão, 3 finalistas e 5 semifinalistas), depois de 2000, não houve mais nenhum finalista. Somente a Universidad de Chile conseguiu chegar a semifinais (2010 e 2012), além disso, quartas de finais com o Cobreloa em 2003 e Universidad Católica em 2011. Todo o restante de 53 participações, ou são eliminados nas oitavas ou como a grande maioria vão para a casa já na fase de grupos.

Mesmo considerando essa dura realidade, a ilusão dos torcedores sempre prevalece em uma paixão chamada futebol onde nem sempre os melhores ganham, e portanto a esperança nunca deixa de existir. Diferentemente do futebol local Chileno, onde o calor e o desejo já não são como antes, a Libertadores é especial e tem sua tradição histórica que não muda; ela é capaz de encher os estádios e faz acreditar que é possível sim ganhar novamente um título de Libertadores como aconteceu em 1991 sagrando campeão o grande time do Colo Colo onde teve uma campanha com 100% de aproveitamento em seu estádio.

Lá se foram 27 anos desde o título do Colo Colo, e essa ilusão de ser protagonista novamente pode parecer uma fantasia ou mesmo utopia, principalmente se consideramos as evidentes diferenças históricas entre o futebol Chileno e Brasileiro, como por exemplo quantidade de títulos, torcida, estrutura, situação financeira, etc. Os números mostram uma remota esperança de conseguir algo importante. Em 24 oportunidades em que o Colo Colo enfrentou times brasileiros pela Libertadores, foram 8 vitórias, 8 empates e 8 derrotas, além disso, das 3 vitórias do Colo Colo jogando no Brasil, duas foram há mais de 10 anos.

É certo que no dia 8 de Agosto nenhum desses números estarão no campo, quando ocorrerá pela primeira vez na história da Libertadores um confronto entre Colo Colo e Corinthians, mas certamente o estádio Monumental será um caldeirão, principalmente pensando que cada vez mais, a possiblidade de um time Chileno conseguir algo mais importante tem sido cada vez mais difícil. O Colo Colo tem muito claro isso, e sabe que está em dívida com a torcida, com a sua história  e também com o futebol Chileno. Quem sabe esse espírito incorpore aos jogadores, os motive e os transforme em um Belgica vs Brasil onde a lógica não prevaleça e Colo Colo elimine o Corinthians. Isso seria mágico aos Chilenos.

Texto do Chileno Andrés Salinger.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta