Até quando Gabriel será titular do Galo?

Foram 34 dias de parada para a Copa do Mundo. Esse foi o período que o Galo teve para buscar um zagueiro para chegar e ser titular. O clube foi ao mercado e trouxe 6 reforços, porém nenhum para o sistema defensivo. Se a situação antes do intervalo já era precária, a venda de Bremer escancarou a urgência de reforços para a posição. Infelizmente parece que ninguém no Galo é capaz de enxergar o desastre defensivo que se arrasta desde 2014, ano que tivemos os último grandes zagueiros, com Otamendi, Réver, Jemerson e Leonardo Silva.

Leonardo Silva hoje é um desserviço ao seu status de ídolo. Infelizmente seu tempo passou e somos gratos por seus esforços e liderança, mas hoje a insistência em mantê-lo tira oportunidades de contratações e nos torna vulneráveis com sua lentidão.

Maidana, Juninho e Mancini são jovens com potencial mas ainda crus para serem titulares.

Agora, precisamos falar de Gabriel. Quando Tite disse que o zagueiro seria o “Marquinhos atuando no Brasil”, as expectativas sobre o garoto cresceram exponencialmente. Hoje sabemos que Tite não é o senhor da razão e que Gabriel não tem a menor condição de ser titular do Atlético.

Baixo, sem impulsão, lento, desengonçado e o pior de tudo, azarado. Normalmente zagueiros baixos compensam com muita técnica e qualidade na saída de bola. Podemos lembrar do paraguaio Gamarra ou Canavarro, capitão italiano e melhor do mundo em 2006. Gabriel nem nisso se sobressai. Nervoso e afobado, quando pressionado arrisca chutões sem direção.

A grande questão é, até quando assistiremos Gabriel titular do Galo? Infelizmente o cenário será esse até que alguém na diretoria perceba que Muricy Ramalho sempre esteve certo: “ataque vence jogos, defesa vence campeonatos.”

Já citei em outros posts boas opções de nomes, mas não custa relembrar:

Polenta, Dante, Gil, Castan…

E não me venha com a desculpa que tais jogadores são caros. Para solucionar um problema, o investimento precisa ser alto.

A parada da Copa era o momento perfeito para contratar, integrar e treinar o reforço.  Infelizmente para o Brasileirão 2018 já está tarde.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta