Real Madrid é Tricampeão da UEFA Champions League!

O Real Madrid cravou seu nome na história e confirmou ser o maior clube do futebol mundial ao derrotar o Liverpool hoje a noite em Kiev e ganhar sua 13° – décima terceira “orelhuda”, sendo a terceira em sequência, algo que não ocorria desde o Bayern de Munique nos anos 70 (1974/75/76).

Zidane também tornou se o primeiro técnico a ser tricampeão seguido da competição.

Primeiro tempo morno e com baixas para ambos os lados. 

O jogo começou equilibrado mas logo nos primeiros minutos, os Reds impuseram seu toque de bola e pressionavam os merengues. Isso durou até a lesão de Salah, aos 27 minutos da etapa inicial. O egípcio até tentou permanecer em campo, após uma dividida faltosa – que mais pareceu ser um golpe de judô, do sempre maldoso zagueiro espanhol Sérgio Ramos, porém ele saiu de campo aos prantos, dando lugar para o ex titular da equipe de Jurgen Klopp, o inglês Adam Lalana. Após a saída da sua principal estrela, os ingleses sentiram e viram o Real Madrid crescer e apertar.

O time merengue também teve uma péssima notícia aos 35 minutos: perdeu seu lateral direito, lesão de Carvajal que deu lugar a Nacho Fernandes. Aos 42 minutos, os merengues abriram o placar, mas o juiz anulou o gol. Após cruzamento pela direita, Cristiano Ronaldo subiu mais alto do que a defesa do Liverpool e mandou de cabeça. Karius fez uma excelente defesa, Benzema, em posição irregular, completou o rebote. O tento foi invalidado.

As equipes seguiram para o vestiário com o placar de 0x0, reservando as emoções para a segunda etapa.

Segundo tempo teve um golaço e dois frangos. 

Logo no começo do segundo tempo, o Real Madrid perdeu uma chance incrível de marcar o primeiro gol do jogo. Aos dois minutos, Marcelo tocou para dentro da área para Isco, que tocou por cima na saída de Karius, mas a bola bateu no travessão. Os merengues abriram o placar aos cinco minutos em uma falha bizarra de Karius. Após lançamento para a área dos Reds, o goleiro chegou antes e ficou com a bola. O arqueiro foi sair jogando com as mãos, mas o atacante francês colocou o pé e acertou a bola, que entrou para o fundo das redes.

O empate do Liverpool aconteceu pouco tempo depois. Aos nove, após cobrança de escanteio de Milner, Lovren desviou de cabeça e a bola sobrou para Mané. O senegalês aproveitou vacilo de Marcelo e tocou na bola dentro da pequena área, desviando do arqueiro Navas.

Aos 15 minutos, Gareth Bale entrou no lugar de Isco. E apenas três minutos depois, em seu primeiro toque na bola, marcou um gol antológico! Marcelo avançou pelo lado esquerdo e cruzou com o pé direito. O galês acertou uma bicicleta com a perna esquerda por cima de Karius, que nada pode fazer.

Mané quase empatou novamente o duelo. Aos 27, ele driblou para o meio da área e acertou um chute forte com o pé esquerdo. A bola desviou na zaga e acertou a trave de Navas.

Apagado no jogo, Cristiano Ronaldo teve a chance de marcar o terceiro gol merengue. Aos 30, ele recebeu passe na área de Karius, mas Robertson atrapalhou a finalização do português, que foi para fora.

Aos 38, o Real Madrid decidiu o duelo: Bale arriscou chute de muito longe no meio do gol e o goleiro Karius foi agarrar o chute de forma fácil, mas deixou a bola escapar para dentro da meta. Definitivamente não era a noite do goleiro alemão.

A camisa pesa! 

É, como diz meu pai: “A camisa pesa!”

O Liverpool sentiu o baque com a lesão de Salah e não foi páreo para o time espanhol. O time do técnico Zidane contou com a sorte e o peso da camisa merengue mais uma vez pois mesmo não sendo aquele Real Madrid que estamos acostumados a ver em campo, Karius errou de maneira incrível por duas vezes e viu seu elenco fazer a diferença, com Bale tornando se protagonista em um noite apagadíssima de CR7.

Para desgosto catalão, o Real amplia sua realeza na Europa: são 13 títulos no torneio europeu. O Milan, segundo maior vencedor, tem sete “orelhudas”, enquanto o Liverpool, que não vence um troféu de peso desde a Champions de 2005, permanece com cinco – empatado em terceiro ao lado do Bayern de Munique.

Sem novidades. 

Até fiquei com a impressão, na hora que o capitão Sérgio Ramos ergueu a taça, que estava assistindo a final do mundial de clubes: tudo muito protocolar e sem muita empolgação dos jogadores espanhóis pois a Europa e o mundo são merengues mais uma vez. Tá ficando chato já… rs

Hala Madrid!

Abraços,

Fernando Michelutti.

Comentários do Facebook

Fernando Michelutti

São Paulino desde 30 de maio de 1982 - O São Paulo Futebol Clube foi, e continua sendo, sua primeira paixão na vida. É fanático por futebol e se deixar assiste até a 6° divisão do campeonato inglês naquele sábado chuvoso com direito a mesa redonda e replay dos gols. Tem como hobby colecionar camisas de clubes nacionais e internacionais, além de visitar estádios e sedes de clubes sempre que esta viajando ao redor do globo. É casado com a Santa Raquel - que nunca foi enganada sobre seu primeiro amor. Também é pai da Duda, do Dani e do Pedro - uma nova geração de são paulinos que vem forte rumo ao Hepta. Agora, junto com grandes amigos, também é blogueiro aqui no papo de arquibancada!

Deixe uma resposta