Quais times brasileiros seguirão na Libertadores?

Vida de blogueiro de futebol é padecer no paraíso. Dá pra misturar o hobby que é ver jogo com algo sério que é analisar e projetar perspectivas.

Nessa 1ª rodada das oitavas da Libertadores nós do Papo de Arquibancada assistimos todos os jogos envolvendo brasileiros.

E agora, quem passa?

GODOY CRUZ (ARG) 0 x 1 GRÊMIO
Com menos de 2 minutos o Grêmio praticamente definiu o confronto. Não é exagero dizer que o time gaúcho está virtualmente classificado, mesmo com uma vitória mínima e reversível.
O Godoy Cruz somente chegou às oitavas por estar num grupo extremamente fraco e dominado pelo Galo. Tendo um técnico inexperiente e elenco sem grandes destaques, encerrou o campeonato argentino na modesta 14ª posição. O time não empolga e a torcida não preencheu nem metade do estádio.
O Grêmio fez seu papel de visitante. Fez o gol qualificado e tomou as rédeas da partida. Apanharam MUITO, o time argentino é extremamente desleal.
O Grêmio é um time frio, sabe rodar a bola e chegar em velocidade. É extremamente leviano falar que Renato Gaúcho herdou o time de Roger Machado. As evoluções táticas são visíveis, trocas rápidas e muitas finalizações. Uma reclamação constante do antigo trabalho de Roger no Grêmio era o desequilíbrio defensivo nas bolas aéreas e o excesso de trocas de bola sem chutes a gol. Renato Gaúcho corrigiu e aperfeiçoou isso. Geromel estar fora da seleção beira o inacreditável. O zagueiro é seguro e rápido mesmo parecendo desengonçado e lento.
Sem maiores sustos o Grêmio chegará às 4ªs, mesmo que na janela venda Luan e Pedro Rocha.

ATLÉTICO PR 2 x 3 SANTOS
Um jogaço. Parcial já “definida”, sendo improvável uma reviravolta no jogo da Vila Belmiro. Além de um time muito superior, até agosto o Santos terá os reforços de Ricardo Oliveira e Nilmar.
Se eu fosse santista já estaria chorando a possível saída de Lucas Lima para o Barcelona. O camisa 10 santista colocou a bola debaixo do braço e conduziu o ritmo da virada. O tempo dirá se ele sabotará sua carreira como Ganso fez.
Mesmo com o gol inicial do Atlético PR e certa pressão com outras chances de gol, Lucas Lima criou assistências para finalização e gol além de muita personalidade.
Merece atenção o frango de Weverton.
Além da falha no 2º gol, o posicionamento no 1º foi preocupante, caindo muito antes da definição da jogada. Os gols sofridos demonstram total falta de treinos de fundamentos básicos.
E o 3º gol Santista… pode gravar e por no DVD. Desde a matada espetacular e finta de Bruno Henrique e a conclusão de letra de Kayke. Aplausos!
Para as próximas fases a tendência do Santos é de crescimento. Levir sabe o que faz.

JORGE WILSTERMANN (BOL) 1 x 0 ATLÉTICO MG
Não é só o nome do time boliviano que é difícil escrever; pensa num futebolzinho complicado de assistir.
Baseado no esquema altitude, campo maior que padrão FIFA, grama sítio/pasto e muita falta de técnica o time boliviano venceu o Galo. O resultado não foi surpreendente visto as circunstâncias nada favoráveis para praticar futebol profissional. O preocupante foi a apatia mineira.
O Galo não deve enfrentar grandes problemas inclusive pra golear o JW em BH. Alguns podem argumentar que esse time deu trabalho ao Palmeiras em SP com uma retranca daquelas. Basta lembrar que aquele ainda era o pífio Palmeiras de Eduardo Batista, que não passava de um catado de jogadores sem organização tática.
E uma coisa que não podemos negar é o poderio ofensivo de Elias, Cazares, Robinho e Fred, desde que descansados. Com o afunilamento de jogos, a rotação do elenco é essencial. Quando esse quarteto entrou descansado fez grandes partidas contra SP, Botafogo e a virada no clássico contra o Cruzeiro.
Mas chegando na Bolívia apenas 3 dias após o clássico, não dá pra exigir grande performance, mesmo jogando contra um time que tem na zaga Alex Silva Pirulito.
No confronto de volta o Galo terá ainda os reforços de Leonardo Silva, Marcos Rocha e Adilson. O Galo passará sem sustos.

BARCELONA (EQU) 1 x 0 PALMEIRAS
Luz amarela acesa para o time de Cuca. O que parecia um resultado interessante até os 47 do 2º tempo, tornou-se uma derrota amarga. O Palmeiras fez um bom 1º tempo, mas contentou-se em defender na 2ª etapa. Defendeu-se bem mas foi castigado com esse preocupante gol.
Não que o Barcelona seja um primor tático e técnico. Longe disso. Sem grandes destaques individuais, baseia seu jogo na pressão, insistência, afobação e raça. Apesar dessas características, a luz acende ao Palmeiras devido ao desempenho do time equatoriano jogando fora de casa nessa Libertadores: vitórias por 2×0 contra Estudiantes e Botafogo.
É bom o Palmeiras se preparar para um repertório ofensivo muito maior que o atual pois no caso de levar 1 gol em casa precisará fazer 3. Até o jogo de volta teremos o retorno de Felipe Melo e sinceramente não sei se considero isso um aspecto positivo ou negativo.
O Palmeiras é favorito mas futebol é aquele esporte onde uma bola desviada em 2 jogadores e que entra nos acréscimos pode ser fatal pra qualquer elenco.

NACIONAL (URU) 0 x 1 BOTAFOGO
Seguindo a tradição uruguaia de jogos violentos ainda mais sob chuva, esperávamos um Nacional duro e faltoso. Não foi o que vimos. Um time jovem, leve e talentoso mas que carece de um bom finalizador. Cria inúmeras oportunidades e as desperdiça na mesma proporção.
Sorte do Botafogo que conta com um Gatito inspiradíssimo, um juiz que ignorou um penalty/bloqueio de vôlei escandaloso e de uma fase iluminada jogando contra ex-campeões da Libertadores.
Já ficaram pelo caminho Colo Colo, Olimpia, Estudiantes e Atletico Nacional.
Aparentemente o Nacional também ficará pelo caminho.
Merecem destaque a invasão da barulhenta torcida botafoguense no Uruguai e o jovem zagueiro Polenta. Altíssimo potencial.

Palpites do blogueiro:
Passam todos brasileiros, exceto o Atlético-PR por motivos óbvios.

E você? Quais são seus palpites?

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta